Dentro de mim existe um lugar onde vivo inteiramente só
e é lá que se renovam as nascentes que nunca secam.
P.Buch

11 de julho de 2012

SIMPLIFICAR


Minha irmã mais velha está fazendo 70 anos. E ela estava para decidir se celebraria essa data com uma viagem ou com uma festa com família e amigas. Eu dei minha opinião: “Por que você precisa optar por um deles? Por que não pode ficar com os dois?” Ela adora viajar para qualquer lugar. Se ela for ali na esquina vai voltar falando que adorou o lugar e que tudo era maravilhoso e lindo. Ela também adora festas. Não perde nenhuma. Não importa se é festa de aniversário de criança ou adulto, casamento ou quermesse. Gosta de todas. Vai em todas. Adora dançar, visita pessoas frequentemente. E não é só na alegria das festas que ela está presente, ela também vai ver os doentes, vai aos enterros, ajuda em sua paróquia etc. Em seus aniversários anteriores, sua casa ficou lotada, tamanho o número de amigos que apareceu para lhe dar um beijo.

Por isso achava que ela não podia optar por uma coisa só. Perguntei a ela: se você não fizer essa festa agora, vai fazer quando? Se você não for viajar agora, vai viajar quando?

Na verdade tenho feito essas perguntas para mim, apesar de ser 15 anos mais nova que ela. É que percebo hoje que a vida é muito muito curta. De repente você abre os olhos e lá se foram cinquenta anos. E mesmo com certas perdas, se compararmos com nossos 20 anos, posso dizer que essa é a melhor fase de minha vida, onde não existe mais ansiedades, ilusões, onde não tenho de escolher entre uma faculdade ou outra, trabalhar em uma firma ou ser autônoma, encontrar um companheiro, casar com essa ou aquela pessoa, ter ou não quantos filhos. Ufa! É como se essa fase de construção tivesse se ajeitado e agora seria mais a de usufruir das escolhas e ser livre para novas escolhas, agora mais relacionadas à essência do por que estou aqui. É como se até agora eu só estivesse no processo de acordar, de me lembrar porque estou aqui nessa existência e a partir de agora eu começasse realmente a viver o essencial da vida.



Hoje faço o trabalho de simplificar a vida. Simplificar o modo de viver, simplificar o meu guarda roupa, a comida que como, meu jeito de limpar a casa, simplificar o meu trabalho e o jeito que lido com ele. Simplificar o que eu como, o que eu falo e o que eu escuto. Simplificar o que eu penso, o que eu sinto, o que eu vejo. Simplificar meus desejos, meus relacionamento com as pessoas. Segundo Satish Kumar,“para um futuro sustentável, precisamos trabalhar menos, fazer menos, gastar menos e ser mais. Diminua o ritmo e vá mais longe. De uma existência simples surgem relacionamentos, celebrações e alegria. Um modo de vida sustentável é um modo de vida feliz. Viva com mais leveza, tirando da natureza somente o que é necessário, de modo a deixar uma pegada menor sobre a Terra.”


Simplificar para ser livre e poder tirar de cada experiência o melhor. Assim qualquer coisa corriqueira pode ser algo muito prazeroso, belo, alegre e cheio de conteúdo. Ontem, um lindo pôr do sol aconteceu na janela de meu apartamento e, naquele momento eu estava fazendo alguma outra coisa. Eu parei e pensei: “Se eu não olhar, não contemplar esse pôr do sol agora, vou fazê-lo quando?” E ficar ali por 15 minutos vendo meu olhos contemplarem aquelas cores e ouvir meus ouvidos ouvirem o silêncio do fim do dia se adentrar em mim foi algo muito restaurador. Perdi a dimensão do tempo e do espaço e registrei em minha alma aquela impressão única de que eu não era separada daquela cor, daquele sol, daquele silêncio, daquilo que acontecia sob as leis cósmicas. Eu era parte de tudo.

Por isso, não dá mais para ficar sentada assistindo televisão ou fazendo qualquer outra coisa que não me acrescente coisa alguma. Não dá mais pra perder tempo com coisas que não sejam simples, essenciais. Por isso não dá para adiar o que temos que fazer aqui.

E voltando ao aniversário de minha irmã, ela resolveu então celebrar seu aniversário dançando com as pessoas que ela gosta e viajando pelo mar atravessando o oceano. E se não fizer isso agora, vai fazendo quando? Que ela receba de volta toda alegria que ela transmite às pessoas através de seu entusiasmo e de sua vontade de deixar o mundo mais bonito. Parabéns mana!

13 comentários:

  1. Como sempre o que você escreve vai fundo. Obrigado por nos brindar com vivências tão pessoais e verdadeiras.bjs

    ResponderExcluir
  2. Lindas palavras, Zezé (teacher!!!)
    Adorei! É isso mesmo!
    Saudades das nossas conversas!
    Beijos
    Telma

    ResponderExcluir
  3. Zezé...Parabéns prá sua irmã mais velha...que homenagem linda que vc fez!
    Irmãs são ótimas né!? Imagina uma assim, com toda esta bagagem de vida, de alegria e sabedoria!!!
    Como sempre...vc...outra sábia-mestra com suas palavras...'Por isso, não dá mais para ficar sentada assistindo televisão ou fazendo qualquer outra coisa que não me acrescente coisa alguma. Não dá mais pra perder tempo com coisas que não sejam simples, essenciais. Por isso não dá para adiar o que temos que fazer aqui.' Beijo e Obrigada!
    Dri-Yoga

    ResponderExcluir
  4. Parabéns para a sua irmã também. É isso aí, Zezé, se não fizermos agora faremos quando?
    Rudy

    ResponderExcluir
  5. Minha Vó, meu orgulho!
    Quando eu crescer quero ser igual a ela!
    =)
    Beijos, Zezé, nos vemos na festa!!!

    ResponderExcluir
  6. Zeze, ficou lindo o ultimo post do seu blog. Chorei...
    Larissa

    ResponderExcluir
  7. Adorei, Zezé!!!
    Bjs e bom domingo
    Lígia

    ResponderExcluir
  8. Fiquei feliz de aparecer no seu blog que está muito lindo.
    Obrigada
    Beijosssssssssssss
    Nair

    ResponderExcluir
  9. Como sempre, valeu ter passado aqui.
    Tô empacotando o meu quarto no colégio, pois mudarei para 'a cidade' nesta semana.
    Bom também ler sobre o Satish sabendo que o verei amanhã. Um verdadeiro privilégio...
    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mirella. Me conta depois o que vc vai ouvir dele. Boas mudanças.

      Excluir
  10. Grande Zezé

    Boa noite. Tudo bem?
    Saudade grande.

    Parabéns pelo blog.
    Abraço e fique com Deus.
    Daniel Barzi

    ResponderExcluir
  11. Zezé,

    Minha mãe é uma pessoa batalhadora e que não desiste das coisas e nem das pessoas e acho que é isso que a faz uma pessoa tão especial.

    Beijos,

    Silvana

    ResponderExcluir
  12. Sara Ponzini Vieira5 de agosto de 2012 12:30

    Que bom te ler de novo, amiga. Um pouco da energia restauradora daquele pôr do sol que você admirou de sua janela chegou até mim. Obrigada! :)

    ResponderExcluir